Executando as Ações Automáticas do GLPI – “CLI ou GLPI”

O GLPI tem suas tarefas automáticas que fazem com que ele trabalhe de forma mais eficiente, e para isso ele mesmo disponibiliza 2 formas de fazer isso, 1º delas chamada de GLPI que é executada em navegadores enquanto os usuários estão logados, e 2º CLI (Interface de linha de comandos) que nada mais é do que executar pelo próprio servidor usando recursos do computador.

Para checar como está suas configurações, que por acaso o padrão é GLPI, o caminho é: Entrar no GLPI com Perfil Super-Admin > Configurar > Ações Automáticas

Vai deparar com uma tela parecida com o exemplo abaixo

Em uma das colunas vai estar mostrando o modo de execução se vai estar em GLPI ou CLI.

Para editar qualquer uma das rotinas basta clicar no nome da tarefa automática e mudar como ele executa.

Agora vamos, lá, porque eu recomendo usar CLI?

Basicamente o problema de usar o GLPI é que se não tiver usuários logados no GLPI ele não vai fazer nada, ou seja a menos que você tenha uma base com + de 100 usuários on das 08 as 18h todo dia atualizando o GLPI o tempo todo, não vai adiantar muito deixar no GLPI, sem contar que, isso faz as páginas do GLPI demorar mais a carregar já que a execução sai por parte do usuário, principalmente se estiver usando a tarefa de mailgate e queuednotification.

Aqui no meu blog postei já como fazer a mudança, tanto para windows quanto para linux/debian ou variantes, vou deixar abaixo os links caso queiram

https://relatosti.com.br/2020/09/03/configurando-o-cron-do-glpi-no-crontab-do-linux-debian/

https://relatosti.com.br/2020/08/20/configurando-cron-no-windows-glpi/

Outro problema em deixar em GLPI o modo de execução é que se você tem tarefas importantes como o envio de e-mails, é de extrema urgência que seja disparado o quanto antes, imagina você precisar enviar para terceiros uma resposta até o final da tarde de sexta, e chegar segunda e nem ter disparo o e-mail ainda, podendo levar até mais tempo.

Deixe uma resposta